Dicas

VOCÊ SABIA? 

De acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU), cerca de 110 litros de água por dia é suficiente para atender as necessidades básicas de consumo e higiene de uma pessoa (de 3,3 m³/pessoa/mês). No entanto, no Brasil, o consumo por pessoa pode chegar a mais de 200 litros/dia.

Para poupar dinheiro e preservar os recursos hídricos é fundamental economizar e adotar novos hábitos. Confira algumas dicas.

  • No banho

    O banho deve ser rápido. Cinco minutos são suficientes para higienizar o corpo. A economia é ainda maior se, ao se ensaboar fechar o registro. Banho de ducha por 15 minutos com o registro meio aberto, consome 135 litros de água. Se você fechar o registro ao se ensaboar e reduzir o tempo do banho para 5 minutos, seu consumo cai para 45 litros. A redução é de 90 litros de água, o equivalente a 360 copos de água com 250 ml.

    No caso de banho com chuveiro elétrico, também em 15 minutos e com o registro meio aberto, são gastos 45 litros para 15 min e 15 litros em 5 min de banho. Uma redução de 30 litros de água.

  • Ao escovar os dentes

    Se uma pessoa escova os dentes em 5 minutos com a torneira não muito aberta, gasta 12 litros de água. Mas, se molhar a escova e fechar a torneira enquanto escova os dentes e enxaguar a boca com um copo de água, consegue economizar mais de 11,5 litros de água.

  • Ao lavar o rosto ou fazer a barba

    Ao lavar o rosto em 1 minuto com a torneira meio aberta, uma pessoa gasta 2,5 litros de água. Então, a dica é não demorar!

    O mesmo vale para o barbear: em 5 minutos gastam-se 12 litros de água. Com economia e fechando a torneira, o consumo fica entre 2 a 3 litros. A redução é de 10 litros de água, suficiente para manter-se hidratado por pelo menos 5 dias.

  • Ao dar descarga

    O vaso sanitário não deve ser usado como lixeira ou cinzeiro, por isso, não jogue papel higiênico, tanto para evitar uma demanda maior de água, como para evitar entupimentos. Um vaso sanitário com válvula e tempo de acionamento de 6 segundos gasta cerca de 12 litros. Quando a válvula está defeituosa, pode chegar a gastar até 30 litros. Mantenha a válvula da descarga sempre regulada. Sempre que possível, deve-se substituir os vasos sanitários antigos pelos atuais, muito mais econômicos. O valor gasto na substituição é compensado pela redução do consumo e, consequentemente, da conta de água.

  • Ao lavar a louça

    Antes de lavar a louça, limpe os restos de comida dos pratos e panelas com papel e, se necessário, com esponja e sabão. Somente depois, abra a torneira para molhá-los. Em seguida, ensaboe o que será lavado e, depois, abra a torneira para novo enxague. Lavando louça com a torneira meio aberta, em 15 minutos são utilizados 117 litros de água. Com o modo de lavar indicado, o consumo pode chegar a 20 litros, uma redução de 97 litros de água. 

    Se for utilizar uma lavadora de louças, o ideal é ligar somente quando estiver cheia. Uma lavadora de louças com capacidade para 44 utensílios e 40 talheres gasta 40 litros de água.

  • Limpeza das Roupas

    Junte bastante roupa suja antes de ligar a máquina ou usar o tanque. Não lave uma peça por vez. Se na sua casa as roupas são lavadas no tanque, deixe as roupas de molho e use a mesma água para esfregar e ensaboar. Use água nova apenas no enxague. E aproveite esta última água para lavar o quintal ou a área de serviço. No tanque, com a torneira aberta por 15 minutos, o gasto de água pode chegar a 279 litros. 

    Caso use lavadora de roupas, procure utilizá-la cheia e ligá-la no máximo três vezes por semana. A lavadora de roupas com capacidade de 5 quilos gasta 135 litros por lavagem.

  • Jardim, calçadas e quintais

    Ao molhar as plantas durante 10 minutos o consumo de água pode chegar a 186 litros. Use um regador para molhar as plantas ao invés de utilizar a mangueira. Para economizar, a rega durante o verão deve ser feita de manhãzinha ou à noite, o que reduz a perda por evaporação. No inverno, a rega pode ser feita dia sim, dia não, pela manhã. Dessa forma, gera uma economia de 96 litros por dia. 

    Adote o hábito de usar a vassoura e não a mangueira, para limpar a calçada e o quintal da sua casa. Lavar calçada com a mangueira é um hábito comum, mas consome muita água. Em 15 minutos são perdidos 279 litros de água.

  • No Carro

    Não lave o carro em períodos de estiagem (época do ano em que chove menos). Use um balde e um pano para lavar o carro ao invés de uma mangueira.

Um pequeno buraco de 2 milímetros no encanamento, desperdiça 3,2 mil litros de água em um dia. Verifique as instalações, faça testes de vazamento e poupe água e dinheiro.

  • Hidrômetro

    Confira o seu hidrômetro (relógio de água). Deixe os registros na parede abertos, feche bem todas as torneiras, desligue os aparelhos que usam água e não utilize os sanitários.

    Anote o número que aparece ou marque a posição do ponteiro maior do seu hidrômetro. Depois de uma hora, verifique se o número mudou ou o ponteiro se movimentou. Se isso acontecer, há algum vazamento em sua casa.

  • Torneiras

    Esse é um dos desperdícios mais sérios. Verifique se há gotejamento mesmo depois de fechar bem a torneira. Quando isso acontecer, troque o vedante. 

    Uma torneira pingando desperdiça 46 litros por dia. Um filete de mais ou menos 2 milímetros totaliza 4.130 litros por mês. E um filete de 4 mm, 13.260 litros/mês de desperdício.

  • Vaso Sanitário

    - Faça o teste de vazamento:

    1º Jogue borra de café no vaso sanitário;

    2º O normal é a borra ficar depositada no fundo do vaso;

    3º Em caso contrário, é sinal de vazamento na válvula ou na caixa de descarga.

    - Atenção! Nas bacias com a saída da descarga para trás (direção da parede), deve-se fazer o teste esgotando-se a água. Se a bacia voltar a acumular água, há vazamento na válvula ou na caixa de descarga.

  • Canos alimentados diretamente pela rede da EMASA

    Feche o registro na parede. Abra uma torneira alimentada diretamente pela rede da Emasa (pode ser do tanque ou outra na parte externa) e espere a água parar de sair. Coloque um copo cheio de água na boca da torneira. Caso haja sucção da água do copo pela torneira, é sinal que existe vazamento no cano alimentado diretamente pela rede

  • Canos alimentados pela caixa d'água

    Feche todas as torneiras da casa, desligue os aparelhos que usam água e não utilize os sanitários. Feche bem a torneira de boia da caixa, impedindo a entrada de água. Marque, na própria caixa, o nível da água e verifique após uma hora, se ele baixou. Em caso afirmativo, há vazamento na canalização ou nos sanitários alimentados pela caixa d'água.

  • Tubulação embutida na parede

    Fique atento ao aparecimento de manchas com mofo, umidade e mudança da coloração do revestimento ou o desprendimento do revestimento (azulejo e pintura), podem ser sinais de vazamento.

Garantir a qualidade da água, monitorando todas as etapas do sistema de abastecimento até o cavalete, na entrada do imóvel é dever da Emasa. Mas, o consumidor também deve fazer a sua parte, limpando a caixa d’água do imóvel para não ocorrer a contaminação do líquido. Para isso, é imprescindível cuidar das instalações hidráulicas e lavar a caixa d’água a cada seis meses.

Confira as dicas para fazer da forma correta e com segurança.

  • Programe com antecedência o dia que irá realizar o serviço;
  • Feche o registro de entrada, esvazie a caixa e armazene o que for possível para uso durante a manutenção. Deixe cerca de um palmo de água no fundo da caixa;
  • Feche o registro de saída para impedir que resíduos da limpeza contaminem a tubulação;
  • Não use nenhum tipo de produto, como detergente ou sabão em pó. Apenas retire a sujeira esfregando um pano molhado na estrutura da caixa. Não use escovas ou objetos cortantes;
  • Abra o registro de entrada e deixe a caixa encher em um palmo de água. Em seguida, adicione um litro de água sanitária para cada mil litros de capacidade do reservatório e deixe agir por duas horas;
  • Após o período, esvazie o reservatório. Abra todas as torneiras e acione as descargas para desinfetar todas as tubulações da casa;
  • Lave a tampa, coloque-a sobre a caixa d’água e tampe bem;
  • Abra novamente o registro de entrada de água. Procure usar a primeira água para lavar o quintal, banheiros e pisos.

O sistema de coleta e tratamento de esgoto é importante para a saúde pública, porque evita a contaminação e transmissão de doenças, além de preservar o meio ambiente. É preciso ficar atento ao descarte de resíduos à rede de esgoto, para não causar entupimentos e refluxo de esgoto.

O bom funcionamento da rede coletora de esgoto depende de cada um dos usuários. 

Veja alguns cuidados que são necessários:

  • Óleo de fritura usado deve ser separado em garrafas pet para entregar em pontos de coleta. O material quando jogado na tubulação forma placas de gordura que entopem a rede;
  • Não jogar pó de café, restos de comida, erva de chimarrão ou tereré, e qualquer outro tipo de resíduo na pia da cozinha;
  • Não jogar papel higiênico, aparelho de barbear, fraldas, absorvente, tubo de pasta de dentes, preservativo ou lixo de qualquer espécie no vaso sanitário;
  • As ligações devem passar obrigatoriamente por uma caixa de gordura. A finalidade é conter a gordura da cozinha para não ser lançada na rede coletora, e não ocorrer o acumulo da gordura nas paredes internas causando entupimento. Esta caixa deverá ser limpa periodicamente;
  • Outro ponto de atenção são as águas pluviais. A água de chuva não pode ser direcionada à rede coletora de esgoto. A ação sobrecarrega a tubulação provocando seu rompimento;
  • Calhas e ralos do lado de fora da casa não podem ser ligados à rede de esgoto. Se isso acontecer, o esgoto pode voltar pelos ralos e pias para dentro de casa.